terça-feira, 22 de maio de 2012

A moda é verde, mas é realmente sustentável?


Já perceberam que alguns famosos que são conhecidos por se preocuparem com o meio ambiente? O Paul McCartney por exemplo, faz campanhas sobre vegetarianismo, e lançou no Reino Unido a campanha “Meat Free Monday” (“Segunda-feira sem carne”, em português), em que sugere que as pessoas não comam carne ao menos uma vez por semana. Moby, que também é vegetariano e ligado ao PETA, é tão preocupado com o meio ambiente que já chegou a limitar sua turnê para reduzir os impactos ambientais. Apesar da turnê “360º” ter sido pouco sustentável no que se refere aos impactos ambientais, o U2 se destaca por ser responsável pela grife Edun (“Nude” ao contrário – “nu” em inglês), uma linha considerada ecologicamente correta, por ser confeccionada com 61% de material orgânico e estampas de lugares da África. Mas será que os músicos também aderem à moda ecológica?


É comum encontrar blusas verdes, com símbolos de reciclagem, sustentabilidade, árvores e outras imagens que se relacionem com meio ambiente, no entanto, esse fato isolado não torna aquela roupa realmente sustentável. Às vezes parece até modismo ou falso moralismo usar roupas que se relacionem com o meio ambiente, por forçar uma imagem não condizente com a realidade, mas existe uma justificativa válida por trás disso: a indústria têxtil está entre as quatro que mais consomem recursos naturais, como água e combustíveis fósseis, de acordo com o Environmental Protection Agency (EPA), órgão americano que monitora a emissão de poluentes no mundo. Para reduzir esse problema, foram criadas marcas de roupas com tecidos orgânicos, garrafas PET e corantes inofensivos para proteger o meio ambiente. Essas grifes começaram a fazer sucesso diante desta onda ambientalista, no entanto, por enquanto, é preciso mais do que consciência ambiental para optar pela moda ecológica. Devido à baixa escala de produção e à pouca oferta de matéria-prima, boa parte desses produtos tem um preço nada atraente.


Apesar dos benefícios da moda sustentável, nem sempre as roupas feitas com fibras alternativas podem ser consideradas ecológicas. Portanto, é importante avaliar se o processo de produção implicou em derrubada de florestas ou exploração da mão-de-obra infantil, por exemplo. Para isso, tem-se que informar sobre a empresa fabricante e verificar se não se trata apenas da "onda ecológica", na qual o produto não corresponde à expectativa sustentável do consumidor. Algumas roupas vêm acompanhadas de selos de certificação que auxiliam na hora da compra, como por exemplo a IBD (Inspeções e Certificações Agropecuárias e Alimentícias) que certifica produtos de limpeza, cosméticos, alimentos e algodão orgânico.