quarta-feira, 20 de junho de 2012

Sacolas plásticas de volta?


Quando a gente pensa que está evoluindo, de repente acontece isso: as sacolas plásticas podem voltar aos supermercados de São Paulo. Essa supeita ocorre em virtude de o Conselho Superior do Ministério Público ter suspendido o acordo assinado entre o Ministério Público, o Procon-SP e a Associação Paulista de Supermercados (Apas) que proibiu a distribuição gratuita das sacolinhas plásticas nos mercados do estado.

Vamos analisar por partes. Inicialmente, vale ressaltar que não foram ainda divulgadas as razões para esse fato. No entanto, o boato recorre ao fato de que o ônus da não distribuição das sacolas plásticas está recaindo apenas sobre os consumidores. Bem, já recebi diversas opiniões sobre a questão das sacolas plásticas, questionando porque as sacolas de legumes e frutas, bem como as embalagens de arroz e feijão podem ser utilizadas e as sacolinhas de levar compras são proibidas. A minha opinião é a seguinte:

1º: As sacolas retornáveis conseguem resolver o problema do transporte das compras, portanto, não acredito nessa desculpa do ônus recaindo sobre os consumidores;

2º: A proibição da distribuição das sacolas plásticas consegue atingir dois objetivos: a redução do consumo das sacolas plásticas (estimada em 2,4 bilhões por mês só em São Paulo), ajudando a preservar o meio ambiente,  e conscientizar a sociedade acerca da problemática ambiental. Toda essa exigência das pessoas em reaver essas sacolas, nos mostra que precisamos de medidas mais eficientes para conscientizar a população, visto que ainda não entenderam a importância de reduzir tal consumo. O não uso de sacolas plásticas é uma medida de preservação ambiental que cada um de nós podemos contribuir individualmente, sem haver maiores sacrifícios.

3º O Governo precisa esclarecer essa diferença entre as sacolas de supermercados e as embalagens utilizadas nos produtos, frutas e legumes. Parece injusto e o plástico utilizado nessas embalagens é muito mais prejudicial, visto que é mais resistente que os demais.

4º Os supermercados tiveram uma redução em seus custos devido à eliminação das sacolas plásticas, e porque seus produtos continuam tão abusivos? Vivemos em uma sociedade em que o rico é cada vez mais rico, e o pobre...

Em pleno a Rio+20, estamos passando por uma questão como essa. Os varejistas de São Paulo informaram hoje que irão aguardar nota oficial do Ministério Público de São Paulo. Só espero que as pessoas que já haviam se acostumado com esse novo hábito, tenham a consciência de recusar as sacolas plásticas, ou pelo menos os supermercados tenham o ônus de distribuir somente sacolas oxibiodegradáveis sem cobrar diretamente do cliente, pois infelizmente sabemos que o custo é incorporado no produto.  

Então: é isso que você quer para o futuro?