domingo, 17 de junho de 2012

Como buscar a economia verde por meio da análise do ciclo de vida dos produtos


Partindo da ideia do último post, neste momento iremos tratar sobre a Análise do Ciclo de Vida (ACV) dos produtos, que significa estudar todas as fases da vida de um produto ou serviço com o intuito de melhorar a gestão deste produto, seja para reduzir custo, recursos e/ou impactos ambientais incorridos no processo. O que isso tem a ver com economia verde, ecoeficiência e sustentabilidade? Bem, o resultado eficiente de uma ACV implica na possibilidade de coexistência entre o desempenho financeiro e ambiental, desde que esse desempenho ambiental seja de fato comprovado pela redução do impacto na natureza e/ou pela recuperação da mesma. 

O foco da presente discussão é dado principalmente para gestão empresarial, no entanto, consumidores responsáveis também têm interesse, uma vez que se preocupam em adquirir produtos e serviços que sejam ambientalmente sustentáveis. A ACV é abordada pelas diversas fases da vida de um produto ou serviço, desde a extração de recursos na natureza até a sua disposição final após o seu uso, tal como visualizado na figura a seguir:


Em cada uma dessas fases são incorridos custos e impactos ambientais, que podem depender do fornecedor de matéria-prima, do próprio fabricante ou até do consumidor final, no entanto, o maior gerenciador do ciclo de vida do produto é o fabricante, pois sua ações impactarão na ações dos demais. Por exemplo, o fabricante pode optar por um fornecedor de materiais recicláveis ou não, tirando parte da responsabilidade do fornecedor. No entanto, o próprio fornecedor também deve procurar desenvolver materiais mais sustentáveis para que esses fabricantes possam iniciar o ciclo de vida de forma mais responsável. 

As fases seguintes se referem à produção e embalagem que estão sob o controle do fabricante, o qual deverá buscar inovações tecnológicas que reduzam a geração de resíduos e de poluentes nesse processo, assim como usar embalagens mais recicláveis, evitando por exemplo, o uso de plásticos, que consomem muita energia na fabricação e demoram para se decompor no meio ambiente. 


Por fim, o fabricante deverá pensar no descarte final do produto após o uso. Ele pode ser responsável por recolher o produto ou parte dele, como é o exemplo de produtores de pilhas e baterias, ou buscar desenvolver formas de reutilização ou destinação sustentável desses resíduos finais. Um outra ação importante é conscientizar os consumidores sobre a importância da coleta seletiva para fins de reciclagem e destinação adequada do resíduo, bem como o consumo de produtos que tenham menor impacto no meio ambiente. 


Todas essas fases do ciclo de vida podem trazer também um retorno financeiro para a empresa por meio da redução de custos ou aumento das vendas por atrair maior número de consumidores responsáveis. Todo o ciclo envolve a redução de insumos e resíduos, e reaproveitamento como matéria-prima ou produtos secundários, gerando uma eficiência financeira e ambiental. Com uma análise bem feita do ciclo de vida, considerando ações sustentáveis que melhorem a gestão desses produtos e serviços, é possível contribuir com o desenvolvimento sustentável buscando atingir a ecoeficiência empresarial sob a abordagem da economia verde.