segunda-feira, 1 de junho de 2015

Consumo e a insustentabilidade

Por que consumimos tanto? Por que somos insaciáveis quanto a roupas, equipamentos eletrônicos, bolsas, sapatos, carros e outros itens que muitas vezes são substituídos por outros mais caros, mais bonitos, mesmo que os antigos ainda estejam em perfeito uso? Por que nos deixamos ser influenciados por modismos vistos em novelas, propagandas e em pessoas famosas? Será que não somos pessoas felizes e achamos que encontraremos a felicidade comprando esses itens?

Passamos muitas vezes a vida trabalhando pesado, abrindo mão do nosso tempo livre com amigos e família, para ganharmos mais dinheiro e não termos tempo para gastá-lo com coisas que realmente nos faz felizes, pois não acredito que esse consumismo garanta felicidade. Ir ao shopping, comprar diversas roupas e sapatos quando já tem um guarda-roupa cheio de itens novos e ainda dizer que não tem roupa para sair?

Já parou para pensar que seus hábitos de consumo desencadeiam um processo muito maior do que sua visão limitada do fim da cadeia de consumo? Imagine quantos recursos naturais são destruídos, quanto trabalho escravo é usado, quanto gás carbônico é produzido e quanto as grandes corporações lucram com seus hábitos de consumo? Enquanto que em regiões subdesenvolvidas não tem sequer o que comer, o que você consome em uma tarde no shopping poderia alimentar uma família inteira durante uma semana ou mais.
Está na hora de pensarmos mais conscientemente sobre nossos hábitos e nossas decisões. Temos que consumir menos, reciclar mais, doar mais e reaproveitar mais. Sem isso não garantimos um desenvolvimento sustentável que implica em suprirmos as necessidades (básicas) da nossa geração para garantirmos as necessidades das gerações futuras, dos nossos filhos, netos, bisnetos... Reflita sobre isso e tome uma atitude!

Fonte imagem: OPA