terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Quando eu morrer, quero virar uma árvore

Já pensou em se tornar uma árvore a partir das suas cinzas? A ideia surgiu em 1997, por Gerard Moliné, e foi colocar em prática em sua agência de design Estudi Moliné, ao lado do sócio Roger Moliné. Atualmente, a urna é comercializada e enviada a diversas partes do mundo, para homenagear pessoas que morreram e melhorar o meio ambiente.

O recipiente é dividido em dois compartimentos, um inferior, que guarda as cinzas (que podem ser de um humano ou de um animal de estimação), e outro superior, onde fica a semente e a terra em que ela irá germinar.

Ao mesmo tempo em que a planta se desenvolve e suas raízes se fortalecem, a urna se decompõe, permitindo que as cinzas entrem em contato com o vegetal e se tornem parte do substrato.

Informações sobre a comercialização do produto no site: https://urnabios.com/.