domingo, 30 de setembro de 2012

Controladoria ambiental

Estive pensando sobre como inserir a questão ambiental e sustentável em uma empresa... Inicia-se com questões simples tais como separar e reduzir os resíduos. Como? Fazendo com que cada funcionário tenha seu próprio copo para reduzir o consumo de copos plásticos, separar papel do resto dos lixos para reciclá-lo. Claro que é uma postura sustentável e reeduca os funcionários de forma que estes repassem para seus amigos e familiares, formando assim uma cadeia sustentável. Mas como poderíamos ser mais ecoeficientes em uma organização? Como proceder com ações que tenham maiores impactos positivos na sustentabilidade e reduções significativas de prejuízos ambientais?

Bem, a resposta é também simples, porém mais complexa de se implantar. Além de inserir a sustentabilidade ambiental e social na missão, visão e valores da entidade, também deverá adotar estratégias ambientais que combinem com os objetivos da empresa. As estratégias são maneiras de alinhar a atividade empresarial com as demandas e necessidades ambientais alcançando o desempenho esperado e ainda reduzindo custos. Podem ser novas estratégias a aquisição de tecnologias limpas, a adoção de produtos que adotem a logística reversa e análise do ciclo de vida dos produtos visando a eficiência produtiva. Após definir estratégias, é necessário estudá-las antes de pô-las em prática. Isso demanda análise detalhada dos recursos e previsão dos resultados. Depois da aprovação, deverá passar para a fase seguinte de execução das estratégias. Essa etapa não é fácil, pois além de demandar a aplicação de recursos da empresas, também é necessária uma mudança na cultura organizacional, inserindo o preparo e a conscientização ambiental junto aos colaboradores da instituição.


Após executá-las, a estratégias ambientais deverão ser analisadas para verificar como está sendo realizado o seu desempenho e se está de acordo com os objetivos proposto alinhados à missão, vissão e valores. Além de considerar as necessidades internas no que se refere a desempenho ecoeficiente e mensuração dessa performance, também deverá atrelar essas informações às demandas de usuários externos, incluindo além de princípios contábeis, societários e fiscais, os indicadores de sustentabilidade tais como os desenvolvidos GRI (Global Reporting Iniciative) e abordado nos relatórios de sustentabilidade das empresas brasileiras de grande porte. Isso significa gerar informações que dêem um feedback para auxiliar no controle e tomada de decisão dos gestores. Essas etapas formam um processo cíclico, no qual a empresa estará sempre atualizando essas estratégias por meio das informações de desempenho geradas e efetuando ajustes quando for necessário.